Vinicius

Tenho uma relação estranha com Vinicius de Moraes.
Sempre que me quero relacionar com o homem, não gosto. Não encontro um único poema, texto ou canção que me agrade. Pego exaustivamente numa antologia qualquer e não há página que me chame à atenção…

Anúncios

Tenho uma relação estranha com Vinicius de Moraes.
Sempre que me quero relacionar com o homem, não gosto. Não encontro um único poema, texto ou canção que me agrade. Pego exaustivamente numa antologia qualquer e não há página que me chame à atenção…
No entanto, de repente e quando menos espero, alguém me sugere o “Operário em Construção”. Curioso, leio e morro de potência e impotência ao mesmo tempo. Velho em novo por ele me ter dado um presente de sabedoria – pode-se dizer que aprendi a notar coisas a que não dava atenção…
Vinicius apareceu-me uma segunda vez na noite, estava com um amigo em depressão sobre o balcão.
O meu amigo bradava em álcool “A uma mulher! A uma mulher!”. Na altura questionei-o, a mulher em questão tinha nome e ébrio achei estranho ele não o usar. “ A uma mulher…” respondeu-me com mais calma, “…tive piedade do teu destino que era morrer no meu destino… a uma mulher… Vinicius”.
Mais tarde, ainda atormentado pela cena, li o poema. Era-me difícil relacionar com ele, pelo menos no seu sentido linear, mas percebia-o. Melhor, percebo-o. Percebo-o muito bem…
A terceira (e infelizmente ultima) vez, foi a melhor. Foi numa canção. Encontrei uma canção simples, de amor, de realidades privadas e de saudade. Ela cantava:


Hoje eu saio na noite vazia
Numa boemia sem razão de ser
Na rotina dos bares
Que apesar dos pesares
Me trazem você

E por falar em paixão
Em razão de viver
Você bem que podia me aparecer
Nesses mesmos lugares
Na noite, nos bares
Onde anda você

“Onde andam os seus olhos que a gente não vê”, murmurei constantemente durante os dias seguintes…
Tenho uma relação estranha com Vinicius. Tal como “Onde anda você”, quando o procuro não o encontro, quando espero não aparece. É apenas quando penso que o esqueço que ele faz questão de me encontrar.

Vinicius de Moraes – Onde Anda Você